Exposições e Eventos

Link Interno Metal que (se) toca
Janeiro 2014 | Março 2014

Metal que (se) toca

Uma das características particularmente interessantes dos metais é a sua sonoridade, ou musicalidade. Ela explica-se pela plasticidade das ligas e pela sua capacidade vibratória. Por essa razão os metais começaram a ser utilizados no fabrico de instrumentos musicais, constituindo mesmo uma "categoria" ou "naipe" próprio.

"Metais" é o nome dado à família de instrumentos musicais de sopro cujo método de ativação é a vibração dos lábios. Na orquestra ficam dispostos atrás dos "Sopros de Madeira" que, por possuírem um timbre mais suave, devem estar à frente, para impedir serem abafados pela intensidade do som dos metais.

A "família" ou "naipe" dos metais é essencialmente composta por trompas, trompetes, trombones, tubas e eufónios. O material utilizado na confeção desses instrumentos é tradicionalmente o latão ou o bronze, embora também possam ser produzidos a partir de outras ligas metálicas, como a prata.

            

                                       

Os instrumentos de metal são basicamente longos tubos de comprimentos e espessuras diferenciados para que possam emitir um som específico ao serem soprados. Numa das extremidades fica o bocal e na outra a campânula. Os longos tubos são enrolados de modo a facilitar o manuseamento do instrumento pelo músico.

A característica básica dos instrumentos da família dos metais é a presença de um bocal e de válvulas ou pistos. Os trombones podem ser de válvulas ou de vara.


Voltar
 











Câmara Municipal de Santarém

procurar no site
     
Mudar fundo Fundo 1 Fundo 2

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se

Nenhum registo encontrado.
Nenhum registo encontrado.